Vizinhança Solidária

  • O que é?
    Conjunto de ações que busca, por meio da prevenção primária, melhorar a segurança pública local, incentivando a vizinhança a adotar medidas capazes de prevenir delitos e colaborar com o policiamento.
     

  • Qual a importância da prevenção primária?
    A prevenção primária é o primeiro degrau no combate à criminalidade. O cidadão conhece e sente diariamente as causas e os efeitos do crime, cuja percepção se torna ferramenta indispensável para orientar as ações de polícia.
     

  • Por que participar?
    Para se reduzir a intolerância social que predomina nas grandes cidades, aproximando os vizinhos um dos outros e por consequência resgatar a sensação de segurança na sua região.
     

  • Na prática
    O programa é voluntário e pode ser implantado em ruas de um determinado bairro ou região, ou com identificação de um estabelecimento comercial que tenha obtido o Certificado de Análise de Risco de Vulnerabilidade. Devem ser evitadas ações ou iniciativas isoladas. Lembre-se: a força contra o crime está na união coordenada entre povo e polícia.
     

  • Qual o custo?
    A vistoria realizada pela Polícia Militar não tem qualquer custo para o proprietário, que arcará apenas com os eventuais investimento para melhorar a vulnerabilidade do próprio imóvel ou estabelecimento. A comunidade também poderá apoiar na confecção das placas de segurança do bairro, por meio de patrocínio não oneroso.
     

  • Como faço para inserir o meu comércio no programa?
    Para receber os benefícios do Programa Vizinhança Solidária, o cidadão deve procurar a Companhia de Polícia Militar mais próxima ou o Conselho Comunitário de Segurança da localidade a fim de preencher o requerimento de análise de vulnerabilidade.
     

  • Como a Polícia Militar participa?
    Escolhe os locais para afixação das placas com base nas ferramentas de inteligência policial e de gestão.
    Promove reuniões de mobilização com a comunidade organizada.
    Identifica e cria proximidade com as lideranças comunitárias.
    Profere palestras sobre Prevenção Primária de Sensibilização.
    Visita o tutor seguindo as indicações do Cartão de Prioridade de Policiamento.
    Monitora os indicadores criminais da região.
     

  • Como funciona na prática:
    Com intuito de resgatar a percepção de segurança na sua região,  vizinhos (dentre eles um tutor) aproximam-se  um dos outros, afastando a indiferença para com o próximo.
     

  • Tutor: É o cidadão local, líder comunitário na vizinhança solidária, que será instruído pela PM acerca de prevenção primária entre outras ações. O tutor participará das reuniões do CONSEG.
    Visita Comunitária: Periodicamente PM do PVS e integrantes da comunidade farão contato estreitando relações permitindo que a Instituição conheça os reais problemas de segurança pública para providências e soluções;

    OBS.: Segundo a Diretriz, a visita comum poderá ser realizada por meio de qualquer Programa de Policiamento instituído pela Polícia Militar.

    Visita Solidária: Contato de PM com vítima de ocorrência policial, previamente analisada e triada pelo Cmt de OPM que orientará acerca das medidas de prevenção primária q poderão ser adotadas a partir de então.

    Como Participar: O programa é de adesão voluntária; procurar a Cia PM mais próxima, por meio de CONSEG ou de outra associação. O importante é q se organize.

    Materialização do PVS: A placa do PVS será custeada integralmente pela iniciativa privada, refletindo a parceria entre a OPM local e entidades comunitárias.

    OBS: Essa placa deverá ser confeccionada conforme modelo constante na diretriz e não devem ser afixadas sem obedecer aos critérios da estratégia do policiamento, já que estão atreladas a uma visitação por parte da OPM local, seja por meio de visitas (comunitária solidárias), seja por meio do CPP.
     
    NO INTERIOR

    Na área do 31º BPM/I 1ª, 2ª Cia PM, em todos os municípios, funciona a “Ronda Programada”, onde o interessado informa a uma unidade PM o período de viagem. As rondas são realizadas no local durante o período de ausência do proprietário e o “Visita as vítimas de roubo”, que consiste na visita pelo CFP ou CGP a vítimas de roubo logo após ocorrido com o intuito de colher maiores informações e retransmiti-las ao serviço de inteligência.

    Na área do 7º BPM/I, município de Sorocaba existe o programa “O VIZINHO VIGILANTE”, durante os períodos de férias escolares, além das visitas Comunitárias de Segurança realizadas pela BCS João Teodoro.

    CPI-2, 8º BPM/I: PVS com o envolvimento de cerca de 1700 moradores e total envolvimento do CONSEG, resultando na diminuição da criminalidade no local.
     
    NA CAPITAL

    Podemos citar o 23º BPM/M – A visita comunitária é desenvolvida nos locais de maiores incidências criminais indicados pelo INFOCRIM, por meio de pesquisas semanais, sua aplicação abrange os bairros da Cia: Jardim Paulista, Vila Beatriz, Pinheiros, Vila Madalena, Alto de Pinheiros e City Boaçava.

    Em dez/13, foram realizadas 95 visitas comunitárias em diferentes estabelecimentos e locais divididos nos subsetores, além da readequação do CPP para atender a necessidade de policiamento. Tal procedimento vem sendo bem recebido por moradores, porteiros de condomínios e comerciantes locais, que vem respondendo bem ao propósito.

©2018 by Carina Rabelo

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now