Passo-a-passo para Implementar o Programa Vizinhança Solidária

  1. Realizar um encontro com os vizinhos para adesão ao programa
     

  • Convite: enviar uma carta convite a todos, se apresentando, explicando o motivo do encontro, com hora e local e deixando seus dados de contatos. Entregue em todas as residências da rua. Dica: ao entregar, busque falar com as pessoas e fazer um convite pessoal. Isso aumenta muito a adesão.
     

  • Importante: os vizinhos se conhecerem é parte fundamental do processo, pois somente sabendo um pouco da vida dos seus vizinhos é que se poderá identificar situações suspeitas, ou seja, fora do usual, como um carro estranho estacionado ou circulando na vizinhança.
     

  • Sugestão de conteúdo para o primeiro encontro: os vizinhos se apresentam e falam um pouco de si; é apresentado o conceito do Programa; são discutidos os pontos críticos para melhorar a segurança da vizinhança e são definidas algumas questões de operacionalização do grupo, tais como, qual será a frequência das reuniões, como se dará a comunicação entre o grupo, encaminhamentos e voluntários para executar as ações.

    2. Comunicação do grupo: é importante ter as informações de contato de todas as pessoas da rua, e montar um grupo de WhatsApp para facilitar a comunicação. Importante – determinar o propósito do grupo para evitar assuntos aleatórios e exageros. O grupo deve ser utilizado exclusivamente para alertar sobre suspeitos, marcar reuniões, questões relacionadas à zeladoria (ex.: falta de iluminação de rua e contato com a ILUME E ELETROPAULO) e acontecimentos que estão relacionados ao bairro.

    3. Determinar qual membro neste grupo fará parte do grupo de representantes da Vizinhança Solidária no bairro.

    4. Contato com a Polícia Militar: Comunicar à Cia da PM na região que tem um grupo de “Vizinhança Solidária”. É possível que um policial militar seja designado para participar de uma parte da reunião. Dica importante: a presença deles na reunião se torna mais importante quando se tem uma série de ocorrências na mesma rua, pois daí terão ações coordenadas entre os vizinhos e PM, caso contrário, conversas esporádicas serão suficientes.

Compartilhe este vídeo com os seus vizinhos:

©2018 by Carina Rabelo

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now